História africana e a autoestima dos afrodescendentes.

História africana e a autoestima dos afrodescendentes.

Como podemos nos orgulhar e nos empoderar com a nossa história quando ela quase nunca aparece ou é contada? Portanto, hoje falaremos sobre o poder da história africana para a autoestima e aceitação.

 

Sabemos o significado que a autoestima tem para todos e quanto importante ela é para ter. Confiança e aceitar a si mesmo, a autoestima boa vem muito da experiências pessoais que vivemos, das histórias que ouvimos e é por isso que esse é um assunto tão difícil para o povo afro-brasileiro.

A história africana não se resume a dor

O que ouvimos sobre a história africana e sobre nossos ancestrais são sempre ligados a escravidão, histórias sempre muito dolorosas e tristes,  boa parte são fatos, no entanto, o nosso povo nunca foi e nunca será apenas dor. A nossa história não tem apenas um lado.

Sabemos que no Brasil mal se fala das glórias que o povo africano nos trouxe, a história Afro-Brasileira não é contada e isso afeta diretamente a autoestima e o empoderamento negro.

Conheça o outro lado: O poder, conhecimentos e as glórias

As culturas africanas tiveram grande influência na formação cultural brasileira, é impossível falar de história do Brasil sem citar o povo preto.

Quase ninguém comenta, mas as primeiras culturas agrícolas e pastoris tiveram um importante desenvolvimento em solo africano. As artes também foram intensamente processadas pelos diversos povos africanos que aqui estavam. E na música? Quase todos os estilos brasileiros apresentam os ritmos africanos, como: maxixe, choro, bossa-nova e o samba. Até mesmo a nossa língua. Dentre os nove países que tem a língua portuguesa como oficial, fora o Brasil, Portugal e Timor-Leste, seis são países africanos e são eles: Angola, São Tomé e Príncipe, Moçambique, Guiné-Bissau, Cabo Verde, Guiné-Equatorial. E diversos são os termos que utilizamos com frequência são de origem do africana como: muvuca, dendê, bagunça, caçula, pinga e muitos outros.

São tantas as influências, são tantas RIQUEZAS que o povo preto trouxe para o Brasil. Antes de mais nada, é importante lembrar que o que comentamos aqui é só uma pequena parte.

Para os pequenos ou até mesmo para os adultos a dica é o livro “O Natal de Nkem‟ um livro bonito, rico de história do povo preto.

Por isso, sem dúvida, se nos contassem desde sempre tudo que o nosso povo foi e é, o que carregamos dentro de nós como herança, os problemas com autoestima, aceitação e confiança seriam ao menos bem reduzidos. Não aceite um resumo extremamente focado na dor, pois somos muito poder e vitória.

A História Afro-Brasileira como chave para a autoestima

Por fim, uma das chaves para o resgate da autoestima do povo preto é ter a sua história contada por inteiro, sem resumos e sem a invisibilização da riqueza, influência e conhecimento. É preciso falar sobre a história Afro-Brasileira não apenas no dia 20 de novembro.

Enfrentamos batalhas e dores desde de sempre, mas essa não é a nossa herança, não é isso que o nosso povo nos trouxe e é isso que não podemos esquecer. Somos descendentes de um povo forte e rico.

× Qual é sua dúvida?