Cotas raciais, uma política de inclusão

Cotas raciais, uma política de inclusão

O que são as cotas raciais?

As cotas raciais são ações afirmativas que visam diminuir as desigualdades econômicas, educacionais e sociais entre pessoas de diferentes etnias. Essa política pública é notável no ingresso às universidades e concurso público.

Por que essa ação afirmativa surgiu?

Durante anos houve escravos negros no país. Ao abolir a escravatura, não criou-se políticas de inclusão para essa população. Mas, afinal, o que isso quer dizer? Quando libertos, os negros foram largados, abandonados, passaram fome, sem ter onde morar, foram expulsos das fazendas. Resumindo: foram mandados da senzala para as favelas. A população negra foi escravizada por muito tempo no Brasil e a abolição foi feita a pouco. É necessário entender esse racismo estrutural, herdado da escravidão, para que então se entenda a situação do negro hoje e a importância das cotas raciais.

De acordo com o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), atualmente, os negros e pardos representam 55,8% da população brasileira, mas somam apenas 12,8% dentro das universidades.  O número ainda é baixo, mas é o dobro se comparado ao período anterior a criação das Cotas Raciais, 5,5% em 2005. O avanço, após as cotas raciais é mais notável quando se fala em Universidades Públicas, representando 50,3% dos estudantes.

Defender as cotas raciais é se vitimizar? Não! As cotas surgiram como nada mais do que uma política de inclusão, tendo em vista que quanto mais negros ingressarem nas universidades, mais ingressam no mercado de trabalho, melhoram seus cargos e a desigualdade entre brancos e negros diminui.

E a meritocracia? Ela não existe! Se duas pessoas não parte do mesmo ponto de partida, como podem chegar no mesmo lugar ao mesmo tempo? É claro que uma pessoa não-branca pode correr atrás e conquistar tudo o que deseja, como aquelas histórias de superação que sempre vemos nos jornais, mas quantos obstáculos ela teve que passar para chegar até lá? É preciso parar de romantizar as dificuldades das pessoas. Os brancos já começam na metade do caminho, enquanto os negros ainda nem estão na linha de partida.

O maior motivo para pedirem o fim das cotas raciais é o famigerado racismo. Cotas sociais seguem os mesmos critérios que as raciais, mas ninguém luta pelo fim delas. Por quê? Elas contemplam pessoas brancas, aí já não se encaixa em vitimismo, são brancos. Mesmo que de baixa renda, ainda possuem seus privilégios.  As cotas são ações emergenciais que devem existir até as diferenças de oportunidades reduzirem.

Ana Caroline Paulino

Equipe De Benguela

× Qual é sua dúvida?