Mais que um discurso, vidas negras realmente importam!

Mais que um discurso, vidas negras realmente importam!

Nesses últimos dias estamos sendo bombardeados por notícias cada vez mais horripilantes, com mortes de pessoas pretas se tornando cada dia mais comum, principalmente nos EUA onde a polícia tem uma postura de atirar primeiro, perguntar depois (que infelizmente a polícia brasileira também possuí).

Cada um com sua devida importância, cada um com sua visibilidade! Cada um com seu peso, sua dor! Estamos em tempos que a sensibilidade é algo quase que inexistente, a normalização e banalização da morte do povo preto tem feito com que nós não choquemos com a mesma intensidade.

Não podemos permitir que nos matem, unidos somos mais fortes e podemos fazer este mundo um lugar mais justo! Hoje queremos deixar uma singela homenagem às vidas pretas que foram ceifadas de uma forma precoce: George Floyd foi assassinado Minneapolis no dia 25 de maio de 2020, estrangulado por um policial branco que ajoelhou em seu pescoço durante uma abordagem por supostamente usar uma nota falsificada de vinte dólares.

No domingo (23), Jacob Blake ao sair do supermercado levou sete tiros nas costas enquanto caminhava em direção aos seus três filhos. Agora, Blake está parcialmente paralisado e a família não sabe se ele conseguirá voltar a andar. Daniel Prude, um homem negro desarmado, morreu no estado de Nova York depois de ser encapuzado pela polícia e mantido com o rosto voltado para a asfalto. Se fossemos listar todas as vidas pretas que são ceifadas, a lista seria quase infinita.

Nossa homenagem vai também para o Chadwick Boseman (Pantera Negra) que se tornou uma representatividade para as pessoas negras. O ator lutava contra câncer de cólon desde 2016 e morreu em casa, nos Estados Unidos. Mesmo doente, ele continuou fazendo filmes, ajudou diversas pessoas na luta do COVID 19 e escondeu sua doença de todos.

Ele faleceu no dia 28/08, mesmo dia que Martin Luther King fez o famoso discurso “eu tenho um sonho”, discurso esse que pedia por representatividade e liberdade de nossos irmãos. Martin não viveu para isso, mas sabemos que temos, tivemos e teremos várias pessoas para tornar tudo isso mais possível.

Toda vida negra importa, precisamos continuar resistentes para lutar contra essa estrutura racista.

Wakanda Forever!

 

Carol Prattes

Equipe De Benguela

× Qual é sua dúvida?