Frete grátis acima de R$700

Enviamos para todo o Brasil!

Seu carrinho

Seu carrinho está vazio

Confira essas coleções:

Um Rápido Passeio Sobre a História das Perucas

Um Rápido Passeio Sobre a História das Perucas

Você já parou para pensar na história por trás das perucas?

Há evidências de que as perucas já eram usadas no antigo Egito, onde eram utilizadas não apenas como acessórios de beleza, mas também como um símbolo de status social, higiene, religiosidade e estética.

As pessoas pobres normalmente tinham cabelos raspados para não atrair pragas como insetos e piolhos.

As perucas eram frequentemente feitas de cabelo humano, lãs, palhas ou fibras vegetais e podiam variar em comprimento e estilo, dependendo da posição social de quem as usava.

 

Foto: nationalgeographicbrasil

 

O uso de perucas na Europa

Em 2014, em uma pesquisa arqueológica feita em Amarna, uma cidade do Egito Antigo, encontraram um esqueleto que pertencia a uma mulher que viveu há pelo menos 3.300 anos na região. Ela possuía uma extensão capilar com tranças, o que parecia uma peruca com uma espécie de alongamento.

Há indícios de que era um penteado comum entre as mulheres daquela época. Então essas seriam as ancestrais das perucas que conhecemos hoje.

Dando uma volta pelo mundo, especificamente no Séc. 18 na Europa, muitos nobres usavam perucas como simbologia de uma boa aparência, o que naquela época representava luxo e status social, tal qual no Egito.

Naquele período tanto, homens como mulheres, utilizavam o artefato. Mas há um motivo, que reflete bastante a história da Europa sobre doenças e hierarquias sociais.

O rei Luís XIV da França, apresentava desde a sua adolescência sinais de calvície. Então, usar perucas, por sua influência, passou a ser status de prestígio e diferenciação social.

Porém existia um outro motivo para o uso das perucas, entre o século 16, a Sífilis estava se alastrando muito na Europa. E um dos seus sintomas eram a perda irregular de cabelo e feridas pelo corpo e as perucas escondiam os vestígios iniciais da doença.

 

 

O uso de perucas na Ásia

Na Ásia, podemos falar rapidamente sobre a peruca tradicional Japonesa. Pelo que podemos observar em variadas culturas as perucas eram usadas por aristocratas e membros importantes e com poder nas suas comunidades. Conhecidas como “katsura” em japonês, elas foram introduzidas no Japão durante o período Heian (794-1185).

As perucas eram feitas de cabelo humano e eram usadas como um símbolo de status e beleza. Durante o período Edo (1603-1868), o uso das perucas se tornou bastante difundido.

Elas eram usadas por samurais, gueixas e atores kabuki. Representadas no teatro kabuki e no teatro chinês, as perucas eram e ainda são usadas para realçar a dramatização dos personagens. As cores das perucas no teatro tradicional são simbólicas para entender a origem dos personagens.

As perucas desempenharam papéis importantes na cultura japonesa, tanto em termos de moda quanto de tradições teatrais.

 

 

O uso de perucas na atualidade

Hoje, as perucas continuam a ser uma parte importante da cultura da moda e da indústria do entretenimento.

As drag queens desempenham um papel fundamental na cultura das Wigs/Laces, porque através das suas habilidades artísticas, elas se transformam e se expressam de maneira única. E as perucas tornam-se ferramentas importantes para a criação de um universo lúdico, um visual extravagante e glamoroso, o que acaba contribuindo para sua identidade artística.

 

Foto: RuPaul é considerado a drag queen mais bem sucedida
comercialmente nos Estados Unidos.

 

A comunidade negra desempenhou um papel extraordinário no impulsionamento das perucas, laces e wigs, não apenas pela demanda mercadológica, mas também por sua criatividade e inovação. Ao longo da história, podemos entender como essa peça que faz cabeça de geral sempre foi status de poder, beleza e de ricas histórias que abordam sobre o legado da humanidade.

Na atualidade, as drag queens (Comunidade LGBTQIAP+)  e a comunidade negra foram pioneiras, na promoção da celebração da diversidade e beleza dos cabelos como um ato político. Abraçando a nossa rica herança cultural, expressando individualidade e combatendo os estereótipos através das perucas. Enquanto, ao mesmo tempo, estabelecem tendências na moda e na cultura.

Hoje, a influência e a liderança da comunidade negra no mundo das perucas e penteados é inegável, moldando a indústria e promovendo a aceitação da diversidade capilar em todo o mundo.

Você sabia de toda essa história? Não esqueça de compartilhar!

 

 

-------------------------------------

 

Emile Brito

Publicitária, criadora de conteúdo e influencer

Postagem anterior
Próxima postagem

Veja também

Eu me namoro: Solteiras também são apaixonadas por si mesmas.

Eu me namoro: Solteiras também são apaixonadas por si mesmas.

Por De Benguela

Dentro da nossa sociedade sempre foi plantada a ideia de que as pessoas só são felizes partindo do momento em que existe uma relação amorosa com um outro alguém, este...

Ler mais
Aplique e namoro: Uma relação de cuidado, empoderamento mútuo e autoestima

Aplique e namoro: Uma relação de cuidado, empoderamento mútuo e autoestima

Por Marcos Paulo

Quando se busca o resgate com a naturalidade, são tantos e profundos processos, os quais nem sempre são fáceis, que pensar em como tudo isso se manifesta nos relacionamentos amorosos...

Ler mais